Chacareiro de Brazlândia é investigado por armazenar restos mortais de animais

A Polícia Civil investiga uma denúncia de maus-tratos contra animais em uma chácara na área rural de Brazlândia, no Distrito Federal. Vídeos gravados por protetores de animais, na última sexta-feira (13), mostram vários corpos de cães e gatos dentro de congeladores.

Em um galpão da propriedade, também foram encontradas ossadas de animais dentro de sacos de ração. O caso foi registrado pela primeira vez na 18ª Delegacia de Polícia, em Brazlândia, em março deste ano. A polícia não informou se o proprietário do local já foi localizado.

Segundo o boletim de ocorrência, o espaço abriga cerca de 230 animais. Até dois meses atrás, o responsável por outro abrigo de animais estava ajudando na limpeza e na retirada de bichos doentes, quando foi impedido pelo dono do local de continuar o trabalho.

Um dia depois do ocorrido, segundo o boletim, o proprietário da chácara voltou atrás e procurou o dono do abrigo para dizer que os animais estavam sem alimentação e que o local não estava sendo limpo. O homem, então, respondeu a responsabilidade não era dele e que fazia o trabalho de forma voluntária.

Segundo o depoimento do dono do abrigo, o proprietário da chácara continuou enviando mensagens pedindo ajuda e tentou pegar ração em uma loja parceira. Após a confusão, o protetor animal procurou a polícia e fez a denúncia.

Na ocorrência, em março, o dono do abrigo próximo já tinha informado a Polícia Civil sobre os congeladores na chácara, e afirmou que o dono da propriedade não deixava que os animais fossem enterrados.

Na última sexta-feira, a esposa do dono da chácara entrou em contato com o homem e disse que o marido passou mal e foi internado. A mulher pediu ajuda e disse não ter condições de cuidar dos cães e gatos que vivem no local.

A vice-presidente da Comissão de Direitos dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ana Paula Vasconcelos, afirma que o local já ficou abandonado outras vezes.

“Nós recebemos a denúncia de que os animais estavam passando fome. Alguns protetores estiveram lá e conseguiram resgatar alguns”, afirma.

Segundo Ana Paula, a chácara pertence a um homem que mantém os animais sozinhos dentro do local. “Os familiares autorizaram que um voluntário que tem contato com a família permanecesse lá para alimentar os animais e tomasse as providências legais”, diz a vice-presidente da comissão.

Ela conta ainda que, nesta terça-feira (17), quando os voluntários voltaram ao local, os vestígios dos animais que estavam mortos dentro do congelador já haviam desaparecido. Segundo Ana Paula, agora, a preocupação é com os cães e gatos que ainda estão no local.

“Precisamos de ração urgente. São 100 kg de ração por dia. Nós precisamos de lares temporários, porque quanto maior a quantidade de animais a gente conseguir retirar de lá, mais chances desses animais terem uma nova família”, afirma Ana Paula.

Fonte: G1.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.