Richarlyson, ex-jogador da seleção brasileira, declara: “Sou bissexual”

O ex-jogador de futebol Richarlyson pela primeira vez se declarou bissexual, nesta sexta-feira (24).

A revelação foi feita em uma entrevista ao podcast “Nos Armários dos Vestiários”, da TV Globo.

O ex-volante multicampeão é o primeiro atleta brasileiro com passagem por clubes da Série A e pela Seleção Brasileira a se declarar não heterossexual.

“A vida inteira me perguntaram se sou gay. Eu já me relacionei com homem e já me relacionei com mulher também. Só que aí eu falo hoje aqui e daqui a pouco estará estampada a notícia: “Richarlyson é bissexual”. E o meme já vem pronto. Dirão: “Nossa, mas jura? Eu nem imaginava”. Cara, eu sou normal, eu tenho vontades e desejos”, disse Richarlyson durante a entrevista.

“Vai chover de reportagens, e o mais importante, que é pauta, não vai mudar, que é a questão da homofobia. Infelizmente, o mundo não está preparado para ter essa discussão e lidar com naturalidade com isso”, acrescentou.

O podcast relembra que, no futebol brasileiro, o único relato existente até então de um jogador da comunidade LGBTQIA+ se tratava de um goleiro da Série D, o Messi, que jogava pelo clube potiguar Palmeira de Goianinha.

“Pelo tanto de pessoas que falam que é importante meu posicionamento, hoje eu resolvi falar: sou bissexual. Se era isso que faltava, ok. Pronto. Agora eu quero ver se realmente vai melhorar, porque é esse o meu questionamento”, disse Richarlyson na entrevista.

Richarlyson viu sua sexualidade virar tema de debate público em 2007, quando o então diretor administrativo do Palmeiras, José Cyrillo Júnior, insinuou em um programa de televisão, com tom preconceituoso, que o jogador seria gay.

O então jogador são-paulino registrou queixa-crime contra o dirigente, que se desculpou. A denúncia foi arquivada pelo juiz Manoel Maximiniano Junqueira Filho, em uma decisão que gerou revolta.

A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), por exemplo, manifestou repúdio à fundamentação da sentença. Ao fazer a denúncia, o então deputado Bruno Covas, leu trechos da sentença nos quais o juiz alegava que “futebol é jogo viril, varonil, não homossexual”.

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados também aprovou uma moção de repúdio, dizendo que o “juiz inverte a lógica do Direito e transforma a vítima, que demandou justiça e pede a reparação do dano, em ré”.

Jogador de futebol de 2001 a 2021, Richarlyson teve passagem por grandes clubes como Fortaleza, Atlético-MG, no qual conquistou a Libertadores de 2013, e, principalmente, o São Paulo.

Vestindo a camisa do tricolor paulista durante, o ex-volante conquistou o tri da era Muricy Ramalho: os Campeonatos Brasileiros de 2006, 2007 e 2008, além do Mundial de Clubes da Fifa, em 2005.

Em 2008, Richarlyson foi convocado duas vezes para vestir a camisa da Seleção Brasileira sob o comando do técnico Dunga. Em fevereiro de 2008, para um amistoso contra a Irlanda, e, em março, um amistoso contra a Suécia. O Brasil venceu as duas partidas por 1 a 0.

“Com certeza minha carreira poderia ter sido muito melhor em termos midiáticos por aquilo que eu construí dentro do futebol se não tivesse essa pauta (sexualidade). Isso é visível, todo mundo sabe disso, mas chegou num ponto em que eu fiquei saturado mesmo”, disse na entrevista ao podcast divulgada nesta sexta (24).

Fonte: CNN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.